domingo, abril 26, 2009

Pensei que

se eu tomasse um banho com a menor temperatura e descer uns 10 graus em meu corpo eu me sentiria um pouco melhor. Mas não, parece que fiquei pior ainda.
Eu luto com as lágrimas que escorrem sem a minha permissão, mas já desisti, que escorram então, alguma hora, ou algum dia elas tem de secar.
Sinto como se uma parte de mim tivesse sido destuida, aniquilada e pisotiada. Como se a cada segundo que se passasse,abrisse mais um pouco esse buraco em meu peito, como se cada tique do relógio machucasse meu coração.
Não penso em mais viver. Penso em desistir de tudo que eu lutei, que eu consegui, mas não tenho mais forças para continuar. Dói para respirar. Dói para falar. Dói tudo em mim.
Eu pensei que aqueles anos de depressividade tinham passado, mas parece que eles voltaram mais fortes ainda.Pensei que agora eu seria realmente feliz, mas como sempre,eu me enganei. Me iludi demais. Sabia que aquela agonia não poderia ter ido embora assim, tão rápido. Isso,dentro de mim, me machuca, externamente e mais ainda por dentro. Como se as suas palavras fossem como punhais,que foram cravados em minhas costas, e por mais que eu lutasse para tentar me livrar, eu não conseguiria. Então vou deixar o medo tomar conta de mim e me guiar. Eu prometi que não largaria mais uma lágrima por você, mas eu percebo o quanto eu sou fraca, não consigo comprir uma fácil promeça. Também, eu sou apenas uma criança inconsequente como você mesmo me chamou. Bom,não tem como lutar contra isso. Amor,um sentimento que te faz sentir tão bem, não, isso nao é pra mim. o amor não é pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos