segunda-feira, junho 08, 2009

"Mas quero ser ser sua amiga mesmo que o perigo agora seja não te esquecer".

Sim, novamente outro dia chuvoso e frio. Chorar é muito raro, acho que, com todo esse tempo,minhas lágrimas secaram, mas as feridas continuam abertas,elas doem, mas não é como dias atrás. Não que a dor que eu sinto aqui dentro tenha diminuido, mas sim pelo tempo que está passando, esssas "feridas" estão cicatrizando por si só,sem esforço nenhum meu. Eu queria não sofrer, mas também queria permanecer com esse sentimento aqui em mim, não queria que ele acabasse. Acho que esse sentimento, vamos dize que um amor verdadeiro, eu não senti por ninguém além de você. É tão forte, "eu vou daqui até a lua e você nem vai perceber". Mas também por um lado, queria que esse amor pasasse, pois ele não é correspondido e com isso tranforma meus dias vazios, por mais que, possa ter sol, para mim os dias são nevoentos e escuros. Antes eu não sabia o que era sentir ciúmes, desejar algo ao ponto de esquecer do seu orgulho, de tudo. Com isso eu também aprendi, mêses atras eu era um tanto quanto imatura, pensava que eu podia te deixar num canto, jogado,esperando.Tinha medo também, pra ser sincera,não sei qual era meu medo, mas eu tinha um medo dentro de mim.E, até num certo ponto eu era infantil. Mas com a dor, eu amadureci. Não queria ter amadurecido tanto. Antigamente ,qualquer besteiras e coisas sem cabimento já era motivo de risos,divertiam minhas tardes. As amizades que eu tinha, eu considerava certas, pois eram iguais a mim. Hoje poucas me divertem. Não sei, tudo está mudando tão rápido e eu nem tenho tempo para pensar se estou agindo certo ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos