terça-feira, agosto 18, 2009

Fundo do buraco escuro.


Estou me sentindo como se estivesse sentada no fundo daquele buraco de novo.De verdade.Como se eu estivesse lá embaixo,olhando para o céu azul lá do alto,totalmente sem saber como é que eu tinha me metido naquela situação.Só que,desta vez não tinha nenhuma raiz para me ajudar a me firmar e sair do buraco.Eu estava empacada lá no fundo.Enxergava a vida normal passando lá em cima, gente rindo,se divertindo,o sol brilhando,os passarinhos e as nuvens no céu,mas não conseguia voltar para me juntar aquilo.A única coisa que eu podia fazer era observar,do fundo daquele enorme buraco escuro. (Princesa Mia, página 81/82.)

Mais um dia se passou,e a incerteza continua a se abrigar em mim.Os minutos vem passando vagarosamente, como de durassem milênios.Uma tarde vazia,monotona.As lembranças invadiram minha mente,como de custume.Já não me desespero e tento lutar,como se adiantasse alguma coisa.E no fim,a exaustão toma conta de mim.A parte que estava sendo recomposta do meu coração vem se destruindo novamente, o vazio vem se acumulando em mim.E o grande buraco vem aumentando de novo,composto por lágrimas e dor.

E o que me resta é tentar preencher e lutar contra o suposto buraco vazio que voltou para exterminar com a esperança que estava começando a surgir em mim.


Ouvindo:Fresno-passado

Um comentário:

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos