quarta-feira, agosto 19, 2009

Felicidade nada duradoura.

Impossível como sempre a minha felicidade não dura nada.Sempre alguém me machuca enquanto eu estou bem, me fazendo retornar a minha dor habitual.Não intendo porque toda vez que há um sorriso em meu rosto,a dor que estava adormecida em mim acorda e expulsa a alegria e no lugar dela trás as lágrimas dormentes que esvaziam meu coração mais ainda. você não imagina como é não sertir nada.Até a dor resolveu me abandar,quanto mais eu me machuco e sangro,menos dor eu sinto.Você não sabe como é se sentir oca.Sem nada dentro de ti.Um coração fraco que pulsa, e nem sei como,já que eu permaneço extremamente cansada,como se estivesse acordada há dias, sem dormir,sendo que o que mais que eu tenho feito é dormir.

Ouvindo: Gloria-anemia

7 comentários:

  1. a gente se acostuma tão rapido com a dor, que depois ela se torna algo normal.E expulsa qualquer outro sentimento que possa existir dentro de nós.
    belo post Mariie;D
    Tem selo pra ti no meu blog!

    ResponderExcluir
  2. Bem isso mesmo, Mari! ;~
    Você escreve muito bem, miga. *-*

    ResponderExcluir
  3. mais e assim que a gente aprende ne !

    ResponderExcluir
  4. seu sobrenome é Fuchs?
    parece demais com as primas de uma amiga...
    se for me fala.

    Abraço,

    Gus

    ResponderExcluir
  5. Liindo amiga!
    tem selo pra ti no meu blog
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gostei nuito de seus textos, parabéns !

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos