segunda-feira, setembro 14, 2009

As palavras foram fluindo, e eu tinha que expulsa-las.

Cansada como sempre.Não acho mais motivos para continuar a viver aqui.Tenho vontade de gritar e dizer que eu já estou pronta para partir.Não acho mais motivos para estampar em minha face um belo sorriso falso.Pra quê?.Eu não aguento mais falar,me vestir e agir de uma forma que não é o meu eu de verdade.Mas não posso simplesmente querer transparecer tudo que há dentro de mim em minha aparência.Preciso ir aos poucos,mostrando quem realmente eu sou.

Nós costumávamos ser tão ligados e agora estamos tão distantes.Será que o que afetou foi o tempo que ficamos separados?.Será que esse tempo não foi uma ironia do destino para talvez mostrar se o amor que eu julgava ser o meu ar era mesmo tudo isso ou simplesmente era uma paixãozinha boba de uma menina mimada que precisava de alguém para viver.Talvez eu trate as pessoas como objeto sem eu perceber.Embora o pouco que o meu coração fraco pulse,ele pulsa por você, mas minha mente demonstra incertezas.

Meu caminho está pavimentado,ainda com fragmentos de um amor antigo que se recusa a sair do meu peito.Me enforcando.Me deixando com medo de amar.Medo de sorrir.Medo de ser feliz.Você me destruiu.Embora eu tente juntar os meus pedaços e encaixar ao lugar certo,elas descolam e caem ao chão. As lâminas me ferem.Mas a dor não existe mais.Eu suporto essa dor.Ela não me machuca tanto quando suas palavras nunca ditas.

Toda a vez que eu te vejo sinto uma vontade súbita de acabar com a minha vida.Para que viver se eu nunca vou te ter ao meu lado.Nem ao menos um sorriso,um simples oi.Nada.Nunca terei nada seu.Talvez algum insulto ou um riso e um comentário irônico.Ou talvez nem isso.Sou completamente invisível para você.

É tudo tão doloroso.Não aguento mais acordar e ver a sua imagem repugnante vagando pela minha cabeça.No silêncio do meu quarto eu ainda ouço as nossas últimas palavras.Eu as repito em voz alta.Espero a sua voz responder.Mas só o silêncio abrange o espaço.

É torturante ouvir várias pessoas repetindo seu nome e o que você anda fazendo.Eu tento parecer indiferente,mas a vontade de chorar me corroe por dentro.É torturante ver você com outra e não pode fazer nada.Eu tento ser forte,mas é só olhar para o lado que eu deixo uma lágrima escorrer.

Idiota.Eu prometi que nunca mais deixaria uma lágrima escorrer por ti.Eu prometi que as fendas em mim nunca mais seriam abertas por você.Jurei nunca mais escrever nada relacionado a você.Jurei esquecer a sua existência.Mas que porra.Como eu vou esquecer se você acabou de voltar para a cidade?.

Estou alimentando esse sentimento que não me leva a nada além da minha própria destruição a 4 anos.Há 4 anos você vêm tomando espaço em minha mente.Há 4 anos eu perdi o meu sorriso e o brilho dos meus olhos.Há 4 anos eu venho suportando a vida invés de vivê-la. Eu não aguento mais.Cheguei ao meu ponto máximo.Não consigo.E já desisti de tentar.

3 comentários:

  1. Nossa perfeito teu blog
    bem que a Maile me disse que
    você escrevia super bem.
    Parabéns amei teu post.

    ResponderExcluir
  2. Mocinha,



    Você expôs aí o sentimento normal de certa fase da vida que é: "Vc não entende, só ele é a pessoa da minha vida".


    Há bons encontros. E maus.






    Felicidades.








    Marcelo.

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos