quarta-feira, setembro 02, 2009

Saidas erradas.

Diante do vidro da janela eu vejo a chuva cair.A incerteza vem aos poucos tomando espaço em mim.As lágrimas escorrem espontaniamente.O silêncio se torna assustador.Apenas o que quebra esse silêncio profundo é a pulsação fraca do meu coração machucado que ainda permanece aqui e o tique-taque infernal do relógio.Me sinto invisível.As pessoas passam por mim,e tudo continua igual,como sempre foi exceto por uma pequena diferença: como se eu não existisse.Mas na verdade, eu que me tornei invisível.Eu que formei um escudo em volta de mim.E agora ele esta me abrangendo inteiramente.Antigamente ele me protegia do mundo real,agora ele apenas mostra de uma forma dolorosa a irrealidade de tudo que eu acreditava e julgava certo.Estou perdida.As saídas daqui estão bloqueadas.Estou cansada de procurar a saída, de abrir cadeados de lugares errados, já que cada vez que eu me movo eu me afundo um pouco mais.

4 comentários:

  1. "Eu que formei um escudo em mim", diz muita coisa...

    ResponderExcluir
  2. Profundo o post, as vezes entramos dentro de nossa bolha e lá ficamos...

    ResponderExcluir
  3. 'já que cada vez que eu me movo eu me afundo um pouco mais.'

    estamos na mesma situação;
    isso é terrivel.

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos