segunda-feira, abril 26, 2010

Contanto que ele existisse

Eu tive medo que minha mente fosse como uma peneira, e que algum dia eu não lembrasse mais a cor exata dos seus olhos, a sensação do toque da pele fria ou da textura da voz dele. Eu podia não pensar nisso, mas eu precisava me lembrar disso. Porque só havia uma coisa na qual eu precisava acreditar pra ser capaz de viver ― eu precisava saber que ele existia. Isso era tudo. Tudo mais podia ser suportado. Contanto que ele existisse.

3 comentários:

  1. Oiii...
    Quee fofo.. ^^.

    Gostei (:

    BJinhuss

    ResponderExcluir
  2. Amei seu novo template. Recentemente quase utilizei um igual lá no Idiotizando mas, não consegui modficiar algumas coisas ao meu gosto.
    Seu blog está lindo e o último post é ótimo de ler.


    Beijos

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos