quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Sua última chance

Era um dia frio, os galhos das arvores batiam em minha janela. Estou  sozinha, com fome, com frio e com muito medo. Me pego chorando,  havia brigado com o amor da minha vida e sentia que nunca mais iria ter volta, minhas forças se acabaram, sumiram com o meu profundo respirar, definitivamente meu mundo acabou, desabou sobre minha cabeça, estou no chão sem forças para levantar e recomeçar.
 As lágrimas correm conforme a melodia triste que está tocando, e meu sorriso 
 se esconde por trás de meus lábios, agora, rachados e tristes. Fotografias na parede me fazem lembrar dos momentos que vivemos um ao lado do outro,e as lágrimas correm, e a dor lateja aqui dentro, puxo meus cabelos, deito no chão, e choro, choro, lembrando dele.. ah, ele aparece por toda a parte, seu rosto lindo, sua linda boca  dizendo " eu te amo", eu te amo, parece o único som que eu precisava ouvir.Me pego no sono debruçada sobre suas  roupa que ainda estão jogadas no chão do meu quarto. O dia amanhece,mas eu não me importo em levantar desse chão, se não tenho você, nada mais importa. Uma buzina muito forte me faz acordar e levantar. Abro a porta e é você, todo molhado, parado na chuva me olhando, com um olhar totalmente vazio que me faz tremer. Entro em seu carro, e há um silêncio mortal, tirando a sua respiração ofegante.Ele começa a se explicar. Eu começo a chorar. Cada mentira que saia da sua boca feria mais ainda meu coração em pedaços.Ele começa a gritar, e eu, começo a gritar mais alto, por meio de soluços, ele perde o controle do carro e bate.Ele se apavora e começa a chorar,pegando-me no colo e tirando-me do carro, estava chovendo muito, e eu estava sangrando também.Ele me força contra seu peito.Eu estava tonta, e o abraço forte. Estava frio. Estava muito frio. Porque parecia que essa seria a última vez que ele me tocaria?. Seus lábios molhados e trêmulos estão sob minha testa." Por favor, me perdoe, por favor" ele fala soluçando. Eu o abraço forte, e susurro " essa será sua última chance", então eu desmaio.

(Texto feito por Tanaisa, com algumas modificações por mim.)

2 comentários:

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos