terça-feira, março 08, 2011

Nada

No silencio da noite, me pego pensando em os ‘‘ nós '', que ficou para trás, e que hoje é apenas, eu, você, e um silencio profundo que machuca e apavora.


as lembranças bagunçam minha mente, e sua voz doce, não sai da minha cabeça ecoando a mesma maldita frase, que atormenta meus sonhos e arranca meu sorriso de mim.

Eu deveria ter tido mais cuidado, sim, eu deveria, deveria ter prestado atenção naqueles sussurros descuidados que ela mantinha com você. o coração sempre bondoso demais, nunca achou nada de suspeito, sendo que as mentiras estavam a um palmo dos meus olhos. Você fingia ser tola, e eu acreditava. Era a amiga preocupada., bom ,não precisava ter tido uma amiga assim. E ainda depois de tudo, jurava ser inocente, tentando ser a vítima, já planejando mais uma tática para me apunhalar novamente. Depois ainda, eu era a louca, desvairada e que sai por ai, roubando o que não é seu.

Não sei o que levou as coisas á ficaram dessa maneira, não sei quando foi que tudo começou a dar errado, eu não lembro.

Ontem o céu era claro, e as estrelas brilhavam intensamente hoje, o céu é escuro e vazio, feito um abismo negro, onde não posso ver o fundo. não sei se estou lá em baixo, posso estar perto da saída, tanto quando posso estar a mil metros do mundo real.

Você pode me ver, através dessa barreira transparente, a qual eu criei para me proteger do ácido das suas meras falsas palavras. Mas isso não basta, não impede que a dor não me atinja. Você ainda me pode me ver, de longe, através do reflexo dos seus olhos castanhos vazios.

Falar se tornou cansativo, e ouvir os mesmos conselhos também, e a principal pessoa a enxergar tudo como realmente é, nada mais, nada a menos do que eu mesma. Mas chega uma hora que cansa. Cansa lutar contra essas feridas que não se saram, de viver com a culpa, uma culpa que não é minha. e sentir raiva de si mesma, por achar que não é capaz. de caminhar, caminhar e voltar ao mesmo lugar, a estaca zero.de se mostrar cada vez mais forte, sendo que por dentro não restou nada.


ouvindo  careless whisper, Seeter

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos