quinta-feira, abril 21, 2011

Barreira de gelo

Eu sempre fora muito aberta em relação aos meus sentimentos. Há um tempo atrás quando meu coraçao fora destroçado pela primeira vez, o único modo que eu conseguia fazer aliviar a dor era escrevendo. Porém hoje, eu estou fechada. Não consigo escrever de maneira clara tudo que estou sentindo, e nem sei se quero que outras pessoas leiam sobre a minha dor. Quando eu escrevo, escrevo de maneira que qualquer um saberá dos meus medos, angústias, sonhos, dores, e use-as contra mim, novamente.Não estou preparada para colocar meu coração assim, tão expostamente, como antes. Eu entreguei meu coração como nunca havia entregado, e você jogava comigo no escuro.Todo mundo me alertava, mas uma garota apaixonada é incapaz de enxergar um palmo a sua frente. E eu tive que ser forte, quando vi tudo ao meu redor caindo, tudo que eu achara certo e tudo que eu confiava. Eu fiquei no chão por semanas, ao lado do meu coração destroçado, e quando eu achara que não havia mais forças, não havia mais esperança, uma minúscula porcentagem de coragem surgiu dentro de mim, me dando forças para levantar. E eu levantei. Eu estava machucada sim, meu corpo doía e havia milhares de fendas abertas sangrando, e eu me  pus a contruir uma barreira de gelo, a qual ainda permance aqui, me ''protejendo'' do mundo real. Ainda dói sim, mas gradualmente o tempo vem se encarregando de fechar essas feridas que ficaram abertas. Há madrugadas que o sono se vai, e eu fico ali em claro com as lembranças e o vazio, preenchendo o que antes alguém preenchia de amor. Tenho o mesmo pesadelo todos os dias, e acordo em pranto, e antes, quando eu dormia em seus braços e me sentia protejida, hoje abraço o travesseiro com milhares de lágrimas caindo sem parar. O sillêncio que há um tempo atrás trazia-me paz, hoje me traz mais perguntas, das quais eu não tenho as respostas, e a única pessoa que saberia respondê-las é você, porém você me deixa com mais incertezas ainda por não saber responder. As vezes me pergunto como tudo teria acontecido, se outras escolhas tivesse sido tomadas. O que teria mudado e como meu coração estaria agora. Ainda é muito dificil, minha cabeça se tornou uma bagunça e quanto mais tento botar as coisas no lugar, mas as coisas se embaralham.E pra variar, você habita meus pensamentos. Não consigo escrever o que realmente queria ter escrito, não me sinto confortável.Talvez ninguém leia, talvez todos leeiam, e eu não gosto de me sentir vulnerável.

2 comentários:

  1. " Não consigo escrever o que realmente queria ter escrito"
    Me sinto parecida

    ResponderExcluir
  2. Talvez eu discorde, usando sempre um eu lírico mas mesmo assim expor os sentimentos nos faz entender, refletir o que estaria de ordem inversa do que realmente deveria ser.

    PS: Não sei se foi de propósito, mais as estampas com o fundo preto e letra verde, me lembrou os anos 90. Gostei.

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos