terça-feira, maio 10, 2011

Cuidar de mim


Olhando- me fixamente no espelho,apenas hoje me dei conta. Fiquei tempo necessário enclausurada dentro do meu caçulo, da minha dor, chorando em cada música romântica que se tocava, e em filmes dramáticos.Tive alguns mêses punindo-me de uma forma doentia, como se eu fosse culpada.Aluguei amigos, tentando chegar a uma conclusão, vendo e revendo a mesma história de todos os ângulos possíveis.E no final, nenhuma resposta concreta que fizesse eu mesma parar com todo esse absurdo que eu estava transformando minha vida.Sempre me mostrando uma pessoa fria e racional, mas por dentro, o sentimentalismo andava a solta, e em meu pensamento, deixei a raiva tomar conta quando passava em algum lugar ''nosso'', ou simplesmente via aqueles casais felizes. Como eu ouvi nesses últimos longos mêses, tudo vai passar, o tempo é melhor remédio e mais algumas dessas frases clilchês que se encontram por ai, mas, nada mais, nada menos, falam a verdade. Nua e crua. Mas são nessas horas, de raiva, de ver as feridas que não saram, só pioram com o tempo, e ver em sua frente um caminho nunca firme, cheio de emboscadas repentinas que nunca terminam,fica ali, só a vontade de escrever, de libertar essas palavras que encomodam, que torturam, falar já se tornou cansativo, e ouvir ainda alguém dizer '' eu te avisei'' é uma coisa que eu abomino, e não preciso mais alguém, além do meu sub-consciente me mostrando minhas fraquezas e meus erros. Mas, acontece que a única principal pessoa capaz de se protejer ás ilusões, e parar de intuitivamente esperar o príncipe encantado e o final feliz, que nem nos contos de fadas,sou eu. E eu sabia, pela quadrigésima vez aonde essa imenso burado iria dar,  e ainda sim, me propus a arriscar, sabendo que iria me machucar.Tentando sair por cima,finjindo ser uma mulher equilibrada. Tentando mentir a mim mesma os estragos feitos dentro do meu coração, dentro de mim mesma. Eu cai sim, e cai bem fundo, e até alguns dias atrás eu achava que não havia mais volta.Mas, depois de longos mêses no escuro, cercada por muros, e totalmente sozinha, eu senti falta da luz, do calor, de alguém.E resolvi cuidar de mim.Parar de perfurar mais ainda meu coração em prantos.Não vou colocar uma máscara, que nem sempre fiz, nem esconder o que eu sinto no momento. Eu só revolvi cuidar de mim. De mim mesma,pelo menos uma vez.
  





.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos