terça-feira, fevereiro 26, 2013

O novo.

Não sei o que me fez trancar minhas palavras em folhas de papéis e guardá-las a sete chaves em uma gaveta. Talvez não me sentisse mais confortável em expor meus sentimentos, já que toda vez que o fazia, acabava por quebrar a cara.  Mas acho que depois de 365 dias superei esse trauma e resolvi dar as caras por aqui novamente.
O que dizer, por onde começar.... Essas duas perguntinhas fizeram-me ficar olhando este quadrado branco por dias, sem saber exatamente o que escrever. E ainda não sei como transformar meus pensamentos vagos em frases com algum sentido.
O tempo passou depressa, 2012 passou voando,  e eu nem lembro o exato momento em que curei as fendas que haviam em meu peito. Só sei que elas se fecharam e ficaram guardadas em alguma gaveta qualquer, recheada com lembranças de amores baratos de verão.
Descobri que o meu grande problema era me entregar demais pro desconhecido. Entrar de cara e coração em caminhos que eu não tinha garantia alguma que eram seguros. Mas fiz dos meus erros uma lição. Até parei de gritar aos quatro ventos o que me aborrecia ou o que me fazia triste. Guardei pra mim sabe? Porque afinal de contas, poucas pessoas realmente se importam, a grande maioria não passa de curiosos, loucos pra ter uma pitadinha de fofocas em suas pacatas vidas. Descobri e provei de tantos -pseudos- amores em pouco tempo que cansei de conhecer príncipes encantados que não passavam de idiotas enrolados em um papel laminado. Mas o principal foi que eu cansei de acreditar nas pessoas e em suas ''boas'' intenções. Depois de tantos tapas na cara a gente aprende a bater também.
Esse ano não começou exatamente como eu planejava. E não começou por erro meu, por preguiça minha... Confesso. Mas confesso também que depois que eu resolvi levantar da cama e buscar fazer minha vida como eu queria, as coisas começaram a andar para frente. A verdade é que eu me acomodei. Por um breve segundo achei que tudo cairia do céu, mas voltei a realidade rapidinho quando vi que estava me aborrecendo com coisas que eu não precisava me aborrecer.  E foi ai que eu percebi que havia algo ''errado'''. Mas não tinha nada errado não, era mais uma daquelas mudanças loucas que bagunçam a vida, o pensamento e tudo que está ao nosso redor.  E depois que eu passei a entender o que estava acontecendo, tudo ficou mais fácil. Me permiti a desfrutar do novo que estava se acomodando em minha ''nova'' vida. E não é que eu gostei? Me livrei de muitos sentimentos importunos e pesos desnecessários. Estou me permitindo a conhecer caminhos novos, afinal é uma fase nova  não? Acabou o ensino médio e suas bobices. E agora estou a caminho de uma profissão da qual sempre fui apaixonada. Faculdade, novos pensamentos, novas amizades, novo, tudo novo. Acho que a palavra que define o meu hoje é ''o novo''. A cada dia estou percorrendo caminhos desconhecidos e deixando muitas coisas para trás. E talvez tenha que ser assim, as mudanças são assim, não são? Quando você dá um passo para frente, automaticamente alguma coisa fica para trás.

Strip my mind- Red hot chilli peppers

Um comentário:

  1. Inevitavelmente caminhamos, mesmo nos erros e até quando acreditamos estar estacionados! abraços

    ResponderExcluir

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos