domingo, setembro 15, 2013

De volta

   Quando me machuco ou me decepciono muito, invés de colocar tudo isso para fora, eu guardo pra mim, fico remoendo lá no fundo da minha mente. E não consigo passar para o papel tudo que eu sinto. Mas tudo passa, não é?. Quando a vontade incessante de escrever surge, já sei que superei e que não me incomoda mais. 
  O começo desse ano foi bagunçado e tudo aconteceu da última maneira que eu achei que poderia acontecer. Errei muito e errei feio. Errei para não machucar alguém e quem saiu quase morta depois de uma batalha naval, fora eu.
  O amor é tão simples e a gente sempre complica. Depois é fácil dizer ''ah, o amor só sabe machucar''. Mas quando algo machuca muito, não é amor. É qualquer outra coisa, menor amor. 
  Meu coração estava voltando a ser leve e nem era mais preciso usar curativos, pois as cicatrizes estavam curadas. Mas, você apareceu, dizendo um amontoado de palavras, e eu fiquei sem chão. Como pode, você se apaixonar por mim? Desde o começo, a gente combinou que era brincadeira e que não ia passar disso. Agora, você estava lá, parado em minha frente, com os olhos brilhando, como eu poderia dizer não? Agora eu vejo, se eu tivesse dito não, teria poupado tanto estress, tantas noites sem sono, tantas brigas, tantos gritos e tantos cortes. 
  Uma escolha errada, resultou em tantas coisas erradas esse ano, mas eu consegui fazer a escolha certa, sabendo que perderia você, perderia aqueles três anos de confidências e segredos. Fiz o certo, mas perdi você, e parecia que havia perdido um pedaço de mim. Mas você nunca entendeu, e talvez eu nunca consegui deixar bem claro o que eu sentia. Eu o amava tanto, mas o amava como uma amiga, nunca como namorada.
  Era tanta informação para minha cabeça. Era tanta coisa errada acontecendo... Mas agora tudo se ajeitou sabe? Eu estou tão feliz. Feliz como não me sentia há muito tempo. Minhas dores de cabeça cessaram. O estress passou. As madrugadas agonizadas e o choro em meu travesseiro ficaram lá trás. 
  Estou fazendo o que eu mais amo, e a cada dia percebo que não fui eu que escolhi ser veterinária, ela que me escolheu. Achei meu lugarzinho. Encontrei amizades que valem a pena e talvez mais um romance, quem sabe né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

Obrigado por postar sua opinião.
Retribuirei a visita.

beijiinhos